Minhas impressões (MI-26/2017): Fortaleza impossível - Jason Rekulak

Este livro é meio que um livro nostalgico, para quem tem mais de 40 anos... mas é também um livro infanto-juvenil, já que os heróis são meninos de 14 anos, mas é passado no final da década de 80, quando os computadores pessoais ainda eram coisas raras de se ter e quando o Microsoft Windows ainda nem existia direito. Eu vivi um pouco deste início, pois tenho mais que 40 anos, e um pouco mais velha que os jovens do livro.


Sinopse


Compre na Amazon Brasil




 "Até maio de 1987, Billy Marvin - um garoto de 14 anos que mora numa pequena cidade em Nova Jersey - é definitivamente um nerd feliz.
Ele e seus amigos inseparáveis, Alf e Clark, passam as noites se empanturrando de biscoitos e milk-shakes diante da TV, assistindo filmes e conversando sobre música, cinema e seriados. Com a mãe trabalhando no horário noturno e a casa toda para si, Billy vara a madrugada fazendo aquilo que mais ama: programando videogames em seu computador.
Mas então a Playboy publica as fotos escandalosas de Vanna White, a famosa apresentadora de TV por quem os três são fascinados. Como ainda não são maiores de idade para comprar a revista, eles planejam um ousado assalto para roubá-la. É quando Billy conhece a brilhante, enigmática e também nerd Mary Zelinsky, e tudo começa a mudar..." Sinopse tirada do hotsite do livro

Minhas impressões



Billy, Alf e Clark são três amigos inseparáveis... moram em uma pequena cidade, Wetbridge, do estado de Nova Jersey e enquanto a mãe (solteira) de Billy trabalha à noite, os amigos comem bobagens, assistem filmes e programas na TV... mas Billy tem um computador, coisa rara em 1987 e principalmente na classe trabalhadora como ele, mas a mãe ganhou o seu Commodore 64, e ele se descobriu apaixonado por programar joguinhos no computador. Tudo em linguagem BASIC. Quando eu tinha 15 anos meu professor de Física nos convidou, a mim e a minha prima-irmã, a fazermos um curso de computação... era programação, em DOS, e eu me arrependo de não ter continuado e quem sabe hoje eu poderia estar trabalhando no Vale do Silício kkk sonhar não custa nada!

"A coisa mais fantástica sobre o Strip Poker com Christie Brinkley é que era impossível comprá-lo nas lojas. Meus amigos e eu fomos os únicos a jogá-lo. Eu mesmo o criei, digitando no computador muitas centenas de linhas do código BASIC." posição 6%

Quando os três amigos descobrem que a Playboy lançou uma revista com fotos de Vanna White, apresentadora de 'A Roda da Fortuna' a última paixonite dos jovens cheios de hormônios do final da década de 80, eles tentam conseguir na única loja da cidade que vende a revista, mas nunca para menores, um exemplar, em uma de suas muitas aventuras mirabolantes, Billy conhece a filha do dono da loja, a jovem gordinha Mary Zelinsky. Mary também adora programar em um Commodore 64, ela faz maravilhas com músicas no C64 da loja do pai.

"Apesar de ele e Clark serem meus melhores amigos, eu não tinha contado aos dois que meu plano secreto, quando crescesse, era criar videogames e viver disso. Eu queria ser o próximo Mark Cerny, o brilhante projetista de jogos contratado pela Atari quando tinha apenas 17 anos. Queria trabalhar com visionários como Fletcher Mulligan, o lendário fundador da Digital Artists, e ter minha própria empresa de software." posição 8%

Juntando um dos planos dos três amigos para conseguir a Playboy de Vanna e a descoberta de Billy sobre o concurso de jogos da Universidade Rutgers para jovens programadores (foi Mary quem contou para ele), Billy resolve pedir ajuda da menina para melhorar um de seus jogos e apresentar no Concurso.

"O melhor dessas tentativas abortadas era um jogo chamado Fortaleza Impossível. Tive a ideia depois de ver uma gravura de uma cara chamado M. C. Escher. Ele inventou um castelo cheio de passagens e escadas que se invertiam. Minha ideia era montar um jogo de pular e escalar num cenário Escher. Os jogadores teriam trezentos segundos para subir uma montanha e penetrar numa gigantesca fortaleza, no meio da qual havia uma princesa presa. Havia guardas e cães de guarda por todo canto..." posição 13%

Billy começa a passar todas as tardes na loja Zelinsky com Mary e à noite estudando outra linguagem de computador para melhorar o Fortaleza impossível... acaba se afastando um pouco dos amigos Alf e Clark... e até mesmo se esquecendo da Playboy, e se esquecendo ainda mais dos estudos... a mãe de Billy sofre (assim como eu, no caso da minha caçula, me identifiquei com a mãe de Billy) com a suas notas.

"- Não me peça desculpas. Não é a mim que você está prejudicando. Três meses atrás, sentados nesta mesa, você me prometeu que ia melhorar. Mas olhe só essas notas." posição 15%

"- Estou ralando para cuidar de você - completou ela. - Cozinho, lavo suas roupas, dou até uma mesada para você. Mas você não está cumprindo sua parte no trato." posição 15%

Só que com o passar do tempo, Billy acaba conhecendo Mary e se apaixonando, mas na juventude, nem tudo são flores... e apesar de eles terem conseguido enviar o jogo para o concurso, por causa das aventuras e planos mirabolantes dos amigos, o 'casal' se separa...

"Bem, não dá para ser u m garoto de 14 anos sem se machucar algumas vezes. Eu já tinha levado porrada em vestiários e rasteiras nos corredores da escola; já tinha sido jogado da minha bicicleta, ralado o joelho, torcido o tornozelo e sangrado o nariz; mas nada tinha me preparado para aquilo. Foi muito pior do que todas essas coisas juntas. Era o tipo de dor que não parava, só ficava pior e pior." posição 54%
Este trecho me lembrou a musica Era uma vez de Kell Smith



Comecei a ler o livro despretensiosamente,e gostei. Apesar da minha nota, lá embaixo, o livro é gostosinho, divertido e me cativou, mas como é um livro mais teen é bem light, e está completamente fora do meu normal de leitura. Valeu para variar o estilo... indico para os jovens de hoje e os jovens dos anos 80.




Minhas impressões (MI-25/2017): Pegando Fogo - Abbi Glines #RosemaryBeach13

Este livro é o último da Série Rosemary Beach 😢😢😢 amo esta turma... quero mais livros, tipo um reencontro de todos os casais e seus filhos e ver a família crescendo. Este livro era esperado e temido, pelo menos por mim, já que Nan é a vilã da série, a irmã malvada, a cunhada temperamental, aquela que ninguém consegue suportar.

"Eu nunca mais amaria outro homem como o amava. Ninguém mais se encaixaria em mim com tanta perfeição." posição 76%

A Série

  1. Fallen too Far  - Paixão sem limites - Blaire e Rush
  2. Never too Far - Tentação sem limites - Blaire e Rush 
  3. Twisted Perfection - Estranha perfeição - Della e Woods
  4. Forever too Far - Amor sem limites - Blaire e Rush
  5. Simple Perfection - Simples perfeição - Della e Woods
  6. Rush too Far - Rush sem limites - Blaire e Rush
  7. Take a Chance - A primeira chance - Harlow e Grant
  8. One more chance - Mais uma chance - Harlow e Grant
  9. You were mine - Para sempre Minha - Tripp e Bethy
  10. When I'm gone - À sua espera - Mase e Reese
  11. Kiro's Emily - Kiro e Emily - não resenhei, mas basta clicar no link ao lado e baixar de graça
  12. When You're back - Ao seu encontro - Mase e Reese
  13. The Best Goodbye - O último adeusCapitão e Rose (Addy)
  14. Up in Flames - Pegando fogo - Nan e Cope

Sinopse

Compre na Amazon Brasil


Minhas impressões


Nan é a vilã da Série Rosemary Beach, desde o primeiro livro ela mostra sua cara, sua maldade, sua inveja, carência... todos os maus sentimentos, e eu estava ansiosa para ver como Abbi Glines iria contar a história dela, mesmo que ela tenha mostrado ao longo dos doze livros anteriores algum, bem pouco sentimento, não achava que seria possível eu torcer por ela... mas me surpreendi, e surpreendi positivamente.

"Eu não era com Blaire ou Harlow. Não fazia os homens quererem mudar por minha causa. Admitir isso me feria profundamente, mas era algo que eu passei a aceitar.
Raiva, autoaversão e sentimentos de inadequação podem transformar uma pessoa em alguém destestável. Amargo. Um monstro." posição 2%
 Nan está sendo vigiada pela equipe de detetives e matadores especializados de DeCarlo, e Major (o primo de Mase) é quem está fazendo o 'trabalho' mais perto, mas ele não conseguiu nada, ele não consegue que Nan confie nele o suficiente para contar sobre seu passado, sobre o último homem com quem se relacionou e que é sobre quem DeCarlo quer detalhes...

"- Claro que ela confia em mim.
Cope se virou rapidamente e seus olhos escuros me fuzilaram de uma forma que faria um super-herói recuar.
- Confia nada. Essa mulher não é burra, Major. Ela sabe. Já esteve com homens suficientes para saber quando está sendo ignorada." posição 4%

E por causa da 'incompetência' de Major entra em cena o todo poderoso e sombrio Cope, que conhecemos um pouco no livro anterior, na história de Capitão. Cope é o 'braço direito' de DeCarlo, com um passado sombrio, ele mata sem dó... ou piedade, e é Cope quem vigia tanto Nan quanto os passos errados de Major, e por causa disso, age, se aproxima de Nan... e isso é INTENSO!!!!

"Meu olhar vagava pelas pessoas e eu já estava entendiada quando deparei com olhar firme de alguém me encarando e fazendo estremecer de medo e entusiasmo. Pude notar o rosto esculpido e os traços fortes, evidentes mesmo debaixo da barba espessa. Meus olhos viajaram mais para baixo. Os ombros largos davam lugar a braços musculosos e a um tórax que parecia prestes a rasgar a camiseta preta.
Então ele começou a andar. Na minha direção. Eu era o seu alvo." posição 6%

Como em todos os livros de Abbi Glines os capítulos são intercalados pelos POV (ponto de vista) de Nan, de Major e de Cope... Major é muito imaturo e egoísta e não conseguiu fazer o trabalho, o primeiro, porque não conseguiu se dedicar e dar atenção para Nan... Nan por sua vez vai se mostrando uma pessoa amadurecida, que sabe de suas dificuldades e o quanto ama Rush (o irmão, por parte de mãe) e o sobrinho.

"O problema era eu, eu e a minha necessidade idiota de ser desejada. De pertencer a alguém. De que um homem acreditasse que eu valia a pena.
Eu queria ser a Harlow de alguém. Ou a Blaire.
Mas eu sempre seria a Nan. E ela não bastava. Nunca havia bastado, e definitivamente não ia mais tentar bastar." posição 35%
Cope por sua vez é um homem profundo, com sentimentos profundos e que apesar de ter um passado triste e de trabalhar com a violência, sabe amar, mesmo que  um amor tão intenso, que pode causar sofrimento e dor, ele é dominador e isso atraiu Nan e a fez se apaixonar por Cope, mesmo sem saber quem ele era.

"Não havia lugar para uma mulher na minha vida. Sobretudo uma mulher como Nan. Alguém que precisava ser amado de verdade.
Eu não era um homem inteiro. Eu era um cretino maluco com um lado sombrio que não devia entrar em contato com a delicadeza de uma mulher como ela. No entanto, eu havia feito isso. Nan abraçara o mal que escorria da minha alma como se quisesse se aproximar da escuridão. Ninguém jamais havia se aberto para mim daquele jeito, com tanta confiança e tanto desejo." posição 77%

O relacionamento de Nan com Blaire vai se tornando mais tranquilo e até começa uma amizade.

"Meu irmão a amava por muitos motivos, e pela atitude dela em relação a mim, dava para entender por quê. O coração de Blaire era enorme, maior do que o de qualquer pessoa que eu conhecia. Eu me sentia grata por ela ser a mulher que amava meu irmão e ser a mãe do meu sobrinho e da minha sobrinha por nascer." posição 87%

Um bom livro, uma boa história, um casal forte e que nos faz torcer pelo final feliz.

"Vilões não nascem vilões. Isso era algo que eu havia aprendido na prática. Que havia testemunhado várias vezes.
Embora Nan não fosse uma vilã, era uma mulher profundamente ferida e magoada. Podia haver algo mais perigoso? Eu duvidava." posição 88% (POV Cope)

Não vou dar a nota completa ou quase lá porque há uma superficialidade e alguns nós por amarrar no final e que fez eu achar que deveria ter mais um livro para finalizar adequadamente a Série Rosemary Beach.






Abbi Glines está lançando novos livros (em inglês) que contam as histórias dos filhos da série Rosemary Beach e de Sea Breeze, a outra série que será lançada pela Arqueiro em breve (nove livros). Já tem lançados os livros de Nate e Lila Kate. 

Minhas impressões (MI-23 e 24/2017): Criação e Estranheza MORTAL - J. D. Robb (Nora Roberts) #SerieMortal

Hoje vou fazer uma postagem diferente, vou falar de dois livros ao mesmo tempo... os dois livros da Série Mortal que eu estava enrolando há bastante tempo e que resolvi pegar e ler juntos, um atrás do outro, matando saudades de Eve & Roarke.



Sinopses

Criação Mortal
 Estranheza Mortal




Compre na Amazon Brasil
 


Minhas impressões

Esta série é a minha favorita, e é incrível isso, porque é sangrenta em alguns sentidos, é um policial futurístico, mas AMO AMO AMO os personagens, não apenas Eve e Roarke, e seu amor intenso e infâncias destroçadas... mas amo os personagens secundários, Peabody e McNab, Summerset, Feeney, Dra Mira, Trueheart, Baxter, Mavis, Dra Luiza, Charlie... todos e cada novo personagem que entra e fica um pouco mais vira amigo/família.


No livro número 25 - Criação Mortal, temos o retorno de um assassino em série, que há 9 anos assombrou a Polícia de Nova York, quando Eve era uma policial novata aprendendo com Feeney as 'manhãs' das investigações... o primeiro assassinato mexe com os ânimos de todos os envolvidos na investigação de anos atrás, eles se sentem péssimos por não terem descoberto o assassino.

"Feeney tinha sido seu instrutor, professor e parceiro. Ele era, embora nenhum dos dois falasse nesses termos, seu pai nos momentos que mais importavam." posição 9%
Mas agora, em 2060, são vários fatores a favor da Polícia de Nova York, a tecnologia, novos policiais e um acessor civil pra lá de competente, que está sempre ao lado da esposa, apoiando tanto ela, quanto a Polícia.

"Foram vinte e três mulheres ao longo de nove anos, em quatro países. O filho da puta arrogante está de volta a Nova York e também é aqui que sua carreira vai terminar.
Agora, Roarke observou, aparecia o ardor que Eve tinha retido durante a transmissão das informações, nomes e métodos e evidências. Ali estava a sugestão da raiva do vingador." posição 14%
E para dificultar, para o assassino, ele escolhe as vítimas entre funcionárias das empresas de Roarke, tendo em vista que sua última 'obra de arte' seja a esposa de Roarke, a detetive, mais 'fodona' de todo o mundo...

"- Ele escolheu deixar claro essa conexão. Assim como escolheu voltar a Nova York para novos trabalhos, neste momento. Mas havia mais uma conexão para ele completar, Eve. - A médica colocou a caneca de lado e seu olhar ficou sério quando olhou para Eve. - Havia você. Estas mulheres são, de certo modo, mulheres de Roarke. Você é dele em todos os sentidos.
Testando a ideia, Eve franziu o cenho.
- Então ele optou por esse padrão específico por minha causa? Eu não era a investigadora principal na primeira vez.
- Mas era um elemento feminino na investigação original e tem cabelo castanho. Era muito jovem naquela época para atender às suas especificações. Mas não é tão jovem agora.
- A senhora acha que eu posso ser um alvo?
- Acho. Acho sim." posição 30%

O livro é bem escrito, mas achei o final, a forma como Eve prende o assassino um pouco fácil demais, e é só por isso que não vou dar a nota total, o casal Eve e Roarke está mais forte, e conseguindo lidar com tudo, até com o fato de Eve ser o alvo do assassino de uma forma madura, e para quem acompanha a série há tanto tempo como eu, vamos percebendo como Eve está ficando mais 'suave' e condescendente para alguns fatos, principalmente os relacionados ao fato de ser casada com o homem mais lindo, rico e poderoso do planeta.

"- Já trabalhei com você antes, já a observei e compreendi, até certo ponto, o que você faz. Mas nunca realmente na extensão, nem na profundidade da dessa vez. Acompanhei tudo do princípio ao fim e participei de todas as etapas intermediárias. - Ele caiu na cama com ela. - Você é uma mulher incrível, tenente. Minha querida Eve.
(...)
- Nós o pegamos, colocamos um ponto final nos seus horrores e Ariel Greenfeld está em segurança. Mas não haveria justiça verdadeira dessa vez, nem mesmo uma sombra dela, se você não tivesse feito o que fez. - Ela colocou a mão em seu rosto. - Executamos um bom trabalho." posição 99%



No próximo livro, o 26 - Estranheza Mortal, temos a morte de um empresário poderoso e do bem... um homem que todos que o conhecem dizem que ele era um homem de boa moral, que ajudava várias pessoas, inclusive tinha uma fundação que ajuda crianças carentes, incentivando o estudo e o esporte, este empresário é morto de uma forma estranha, de cunho sexual, enquanto a mulher está viajando com algumas amigas.

"Thomas Anders certamente não merecia o que obteve depois de se enfiar debaixo das cobertas pela última vez, e o trabalho de Eve era se certificar de que ele iria obter o que merecia agora: justiça. Talvez ele fosse o modelo de decência que seu amigo e sua família apregoavam ou o pervertido sexual secreto que seu tipo de morte sugeria." posição 14%


O empresário morto trabalhava no prédio de Roarke, e por causa da descrição do marido e pelo instituto de detetive 'fodona', Eve percebe que existe alguma coisa errada na cena e em outros detalhes da vida e da morte de Thomas... e é por isso que ela logo segue

"- E o que eu tenho a partir disso? Um sobrinho dedicado, uma esposa amorosa, amigos leais, uma governanta eficiente. Tem gente me escondendo alguma coisa. Está tudo estranho e essa estranheza me irrita. Alguém sabia que ele estaria sozinho em casa naquela noite. Tinha que ter certeza disso." posição 17%

Neste livro alguns dos personagens secundários que fazem parte da família Mortal e que aparecem de quando em quando, como a Dra Luiza e seu namorado Charlie aparecem, indiretamente fazendo parte da trama. Neste livro apareceu um personagem, um menino fofo, inteligente, vendedor ambulante nas ruas de Nova York, pelo visto ele já apareceu em algum dos contos da serie Mortal, e que eu gostaria muito que ele participasse de mais livros, ele mexeu com os sentimentos da Tenente durona.

"- Qual é o seu nome, garoto? Se não me disser, nossa brincadeira acaba aqui mesmo.
- Tiko.
- Muito bem, Tiko. Para onde vamos?
Ele exibiu o que Eve imaginou ser sua versão de uma expressão enigmática.
- Vamos dar uma volta lá pelos lados da Time Square." posição 34%

Gostei muito da trama e mais ainda do relacionamento de Eve e Roarke, o quanto o amor deles é especial.

"- Vi você e isso bastou para me paralisar. Às vezes mal consigo respirar de tanto que o amo.
- Ah, Eve. - A emoção tomou conta dos olhos dele quando ele a beijou muito docemente, em seguida descansando a testa contra a dela.
- Fico pensando que esse furacão vai sossegar. Que, em algum momento, essa força poderosa vai se estabilizar e acalmar. Só que isso não acontece. Mesmo quando as coisas fluem com suavidade e estamos... apenas seguindo em frente, basta eu olhar para você que fico sem fôlego.
- Cada minuto que passo ao seu lado faz com que eu me sinta mais vivo. Nunca soube, até conhecer você, que havia pedaços de mim que ainda não tinham nascido, simplesmente esperavam sua chegada para germinar. Eu me sinto vivo com você, Eve." posição 55%


Acho que é basicamente por causa do casal, do amor deles, das aventuras e de toda a família da Série Mortal que eu amo a Série, quanto mais aparece o relacionamento de Eve e Roarke e de todos os personagens, mais eu gosto do livro.



Especial AMAZON BRASIL na Bienal do Rio 2017



Bienal começando hoje e a Amazon não poderia deixar de fazer promoção, e eu venho mostrar algumas das delícias de Promoção... corre lá!

Clique nos links abaixo:

Bienal 2017


Carina Rissi Bienal 2017


Paula Pimenta Bienal 2017